Polícia localiza três corpos relacionados à chacina do DF
24/01/2023 09:11 em NOTÍCIA

Segundo o delegado Ricardo Viana, os corpos estavam numa cisterna cobertos por cal

A Polícia Civil do Distrito Federal anunciou, na madrugada desta terça-feira (24) que localizou mais três corpos que podem estar relacionados ao desaparecimento de dez pessoas da família da cabeleireira Elizamar da Silva, 39, vítimas de chacina no Distrito Federal.

De acordo com o delegando Ricardo Viana, da 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá, em entrevista à TV Globo, os corpos foram encontrados dentro de uma cisterna em uma casa abandonada. As vítimas não foram reconhecidas, mas, de acordo com Viana, são duas mulheres –uma delas adolescente– e um homem.

As buscas ao local da desova dos corpos começaram na noite de segunda-feira (23). O delegado relatou que os corpos estavam muito bem enterrados e foram cobertos por cal, na tentativa de dificultar a identificação por cães farejadores. Foi com a ajuda dos animais que a polícia conseguiu chegar ao local onde foram enterrados.

Ainda de acordo com Ricardo Viana, os corpos serão levados ao Instituto Médico Legal para identificação. Pelo avançado estado de decomposição, deve ser necessária a coleta de material genético para realização de exame de DNA.

O delegado disse que não é possível afirmar que sejam das três vítimas da chacina desaparecidas, mas as investigações se concentram na localização dos corpos de Thiago Gabriel, marido de Elizamar; Cláudia Regina Marques de Oliveira e a filha dela, Ana Beatriz Marques de Oliveira –respectivamente ex-mulher e filha de Marcos Antônio Lopes de Oliveira, sogro da cabeleireira.

Foram enterrados nesta segunda-feira (23), em Planaltina de Goiás (GO), os corpos de Elizamar, Rafael, Rafaela e Gabriel.

O filho mais velho da cabeleireira, Ivonilson Silva, 23, pediu justiça para a mãe e os irmãos. "Que esses caras paguem pelo que fizeram com a minha mãe e meus irmãos. Eu estou péssimo, minha irmã está péssima. Todo mundo da família está destruído. [Quero o] pior para eles, é o que eu posso dizer", afirmou ele.

"Tudo o que eu precisava, [ela] cuidou de mim da melhor forma que ela pôde, de mim e da minha irmã. Quero ter as boas lembranças dela. Todo mundo gostava dela, todo mundo tem uma lembrança boa da minha mãe. [Ela era] querida por todo mundo."

Polícia Civil investiga o desaparecimento e morte de 10 pessoas de uma mesma família no Distrito Federal

A irmã de Ivonilson, que não quis se manifestar, foi quem registrou o desaparecimento da mãe e dos irmãos, no dia 12 de janeiro.

Desde então, o crime tem chocado e intrigado os moradores da região. Muitos acompanharam o velório da mulher e das crianças nesta segunda, no Cemitério Municipal Redenção, mesmo sem conhecer a família.

"[Se] essa situação comoveu o Brasil inteiro, imagina a nossa família. Nossa família está despedaçada. Mais uma vez sem palavras, sem sentimentos. Na verdade, parece que eu estou flutuando nessa terra. Não só eu, mas toda a nossa família", afirmou Ismael da Silva Rocha, irmão de Elizamar.

Até esta segunda, três pessoas estavam presas. Um dos homens, preso na última terça-feira (17), disse à Polícia Civil do DF que a morte da mulher e das crianças tinha sido encomendada pelo marido e pelo sogro dela para tomar o dinheiro da venda de uma casa e de um empréstimo bancário.

O caso sofreu uma reviravolta, no entanto, depois que o corpo do sogro também foi localizado. Agora, a Polícia Civil tenta descobrir se Marcos e Thiago tiveram alguma participação na morte da cabeleireira ou se também foram vítimas do crime.

A Polícia Civil do Distrito Federal procura por um quarto suspeito. O homem de 26 anos, identificado como Carloman dos Santos Nogueira, está foragido.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!