Alemão pagou R$ 7 mil a motorista de aplicativo antes de ser preso em Curitiba
19/04/2020 13:10 em Trânsito

O empresário Diego Gasques, conhecido por Alemão, pagou R$ 7 mil ao motorista de aplicativo com quem se envolveu em um acidente de trânsito. O campeão do BBB (Big Brother Brasil) 7 foi preso em Curitiba na manhã deste sábado (18) pelo episódio e passou a noite na prisão.

 

Ao Paraná Portal, a defesa do empresário confirmou que Alemão fez duas transferências – uma de R$ 4 mil e outra de R$ 3 mil – pelo celular antes da polícia chegar ao local. O objetivo do pagamento foi reparar os danos causados ao carro, mas o motorista passou a exigir mais dinheiro.

 

“O Diego raspa no carro do Uber e mesmo assim para. Ele começou a conversar e pediu desculpas, falando que iria pagar. O cara reconhece ele e começa a apelar. Disse que era pouco [R$ 7 mil] e que iria o expôr. Aí bateram boca e entraram em vias de fato”, conta Jeffrey Chiquini, advogado de Alemão.

 

Ao observar a briga, um morador acionou a polícia. Quando os agentes chegaram ao local, prenderam o ex-BBB em flagrante sob justificativa que ele estava bêbado e agrediu o motorista de aplicativo, além de desacatado às autoridades.

Entretanto, a defesa nega as três acusações. Segundo o advogado, Alemão foi algemado por ser “maior e mais forte que o motorista”, o que fez com que ele ficasse “muito nervoso”.

“Ele não se negou a fazer o bafômetro e não estava alcoolizado, tanto que ele rala um carro estacionado e ainda assim para e desce do seu veículo. Se ele estivesse, jamais faria isso. Provaremos a verdade”, completa o advogado.

DEFESA DE ALEMÃO ENTRA COM PEDIDO DE LIBERDADE

A defesa já entrou com pedido de revogação da prisão de Alemão e agora aguarda pela apreciação da Justiça.

O ex-BBB ficou em silêncio durante o depoimento à polícia na Dedetran (Delegacia de Delitos de Trânsito), em Curitiba, na tarde deste sábado.

Já o motorista do aplicativo representou por lesão corporal contra o empresário. Com isso, a PCPR autuou o ex-BBB por embriaguez ao volante, desacato e lesão corporal. A pena máxima, somada, é de seis anos.

Contudo, Alemão nega os crimes e discorda da prisão pelo o episódio se tratar de um “acidente de trânsito e não infração penal”.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!