PUBLICIDADE
FLAMENGO

Rubro-Negro não fez uma partida brilhante, mas soube explorar dos seus talentos individuais para vencer o novamente o Vasco e conquistar o título do Campeonato Carioca

O cenário era totalmente favorável ao Flamengo. A vantagem construída na partida de ida, o retrospecto no confrontos recentes, a freguesia nas finais... o Maracanã com ocupação de 70% de rubro-negros serviu para dar as cores do espetáculo. O troféu foi levantado após nova vitória contra o Vasco, por 2 a 0, neste domingo, mas a sensação que fica é que o Campeonato Carioca foi decidido na semana anterior tamanha a diferença técnica.

Os números do Footstats até mostram um confronto equilibrado. O Vasco teve mais finalizações (18 a 11), enquanto o Flamengo teve mais posse de bola (54% a 47%). Mas, o contexto desta final destaca o tamanho da superioridade rubro-negra: mesmo sem estar nos seu melhor dia coletivamente, foi amplamente superior - durante todos os 180 minutos.

O Flamengo não conseguiu repetir a pressão na saída de bola do Vasco como no primeiro jogo, mas soube aproveitar os espaços e explorar os corredores da defesa vascaína. Fernando Miguel evitou uma goleada do Flamengo, mas Diego Alves também apareceu bem para impedir que o Cruz-Maltino abrisse o placar. Entre o copo meio vazio ou meio cheio, a atuação rendeu título. 

- Uma conquista não é feita de um jogo. Não foi uma das melhores partidas que o Flamengo fez no ano. O Flamengo fez uma partida inteligente. No jogo em si o Vasco foi superior - declarou o técnico Abel Braga. 

O Rubro-Negro tinha a vantagem no placar, no cronometro e a experiência dos jogadores, e o Vasco sabia que seria difícil igualar dentro de campo. Irritar a partida foi uma estratégia utilizada pelo Fluminense na semifinal, mas a ação virou antídoto puxado por Gabigol, que irritou a defesa vascaína. Quem deveria provocar, estava pilhando. Assim, o Flamengo venceu na parte mental.

Na parte técnica, não houve comparação. Willian Arão e Vitinho marcaram, mas o placar poderia ter sido ainda maior. Destaque para a facilidade na leitura de jogo que Arrascaeta adiciona para a equipe. Com passes rápidos e improváveis, foi um dos responsáveis por desmontar a defesa cruz-maltina. Além da assistência, claro. 

Superior do início ao fim do torneio, o Flamengo fez valer o seu investimento. No total, seis atletas da equipe apareceram na seleção do Campeonato Carioca: Rodrigo Caio, Renê, Cuéllar, Éverton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique - este que também foi o artilheiro da competição. O campeão não poderia ser outro.

 

 

CORINTHIANS: #DoCarille: rei de mata-mata, técnico reafirma sucesso em tri do Timão

Classificado em todas as competições disputadas até aqui em 2019, técnico voltou ao Brasil para reafirmar sua história de sucesso no Corinthians e, em quatro meses, já leva o caneco.

 

Desde o "sim" ao chamado do Corinthians para voltar ao Brasil e acompanhar de perto a montagem do atual elenco, o técnico Fábio Carille já imaginava brigar por títulos. Talvez não esperasse, porém, em quatro meses conquistar o tricampeonato estadual passando por dois dos maiores rivais, Santos e São Paulo, sem ter perdido clássico e vivo em todas competições disputadas até aqui na temporada. 

Um dos primeiros a chegar ao CT Joaquim Grava diariamente, brincalhão com os funcionários do clube e dono de incontáveis sonecas depois do almoço com pudim de sobremesa, Carille trabalhou diariamente para encaixar o time ao longo do Paulistão. Foi bastante criticado pelo desempenho ruim da equipe em vários jogos, mas reafirmou sua força ao melhor estilo Corinthians: na raça, sofrendo. 

Quando topou o desafio de voltar ao Brasil depois de alguns meses no Al-Wehda, de Jeddah, na Arábia Saudita, a contragosto da esposa, Marina, buscava treinar novamente um time forte e, principalmente, organizado e estruturado. Por enquanto, deu certo. Além do louvável tricampeonato, com os títulos de Paulistão de 2017, 2018 e 2019, disputou 22 jogos de mata-mata e foi eliminado apenas em duas oportunidades. As únicas duas derrotas em tempo normal foram para o Santos, na semifinal deste ano, por 1 a 0 - nos pênaltis, 7 a 6 e vaga à decisão assegurada - e para a Chapecoense, na ida da quarta fase da Copa do Brasil. 

O quarto título pelo Corinthians dá fôlego a Carille para traçar planos para o restante da temporada alvinegra. O Timão ainda tem pela frente a Copa Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. No torneio nacional de mata-mata, precisará reverter a derrota para a Chape. 

Para pensar no futuro, Carille preferirá seguir suas convicções. O treinador não assiste a nenhum programa de esportes e chegou a entrar chegou a entrar em atrito com a imprensa ao longo do campeonato ao acusar um espião de passar informações para um adversário. Arisco em algumas entrevistas, tem aparecido menos, evitando a exposição exagerada. De personalidade forte, escreve linha por linha sua história vitoriosa no Corinthians.

FUTEBOL MARANHENSE

Moto Club tem o craque e é a base da Seleção Maranhense de Futebol 2019

Já é tradição que ao termino dos campeonatos a comunidade dos cronistas esportivos do estado e que trabalham diretamente na competição votem na sua seleção do campeonato, craque, técnico e revelação da competição. Este ano não foi diferente e o Moto Club, mais uma vez, tem a base do que seria o melhor time do Maranhão.

Depois da votação, Associação dos Cronistas e Locutores Esportivos do Maranhão (Aclem) chegou ao resultado e definiu que dos 11 jogadores, além do técnico, 7 seriam do time rubro negro. Em 2018 a seleção do estadual contou com cinco jogadores e o técnico do Moto Club, já esse ano são sete jogadores mais o técnico, somando o total de oito profissionais que realizaram um grande Campeonato Maranhense.

O goleiro Rofolfo, o zagueiro Lucas Dias, o lateral direito Diego Renan, o meio-campista Naílson e Lucas Hulk e Juninho Arcanjo, o atacante Márcio Diogo e o técnico Wallace Lemos, foram escolhidos quase que como unanimidade. Dessa forma apenas quatro vagas foram preenchidas por jogadores de outras equipes, são eles: o zagueiro Renan Dutra, o lateral esquerdo Renan Luís e o meio campista Sousa Tibiri do Imperatriz, o atacante Maxuel Samurai do Sampaio Corrêa, fecha a lista.

O craque do campeonato também foi motense, o Márcio Diogo foi escolhido como o melhor jogador da competição. A revelação ficou com o meio campista Neto que defendeu o Pinheiro. Sobre a arbitragem, tivemos o Mayron Frederico como árbitro e Raelson Almeida e Elson Araújo de Sousa como melhores assistentes da competição.

 

 
AGORA NA RÁDIO
APLICATIVOS
Aproveite o melhor da nossa programação em qualquer lugar!
PAGINA INICIAL
ENQUETE
Como você avalia o desempenho da Administração do Prefeito Mercial neste mandato?
    Ver parcial
Ótimo
Bom
Regular
Péssimo
Voltar
REDES SOCIAIS
CHAT
ESTATÍSTICAS
Visitantes: 190.284
Usuários online: 112